Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


De volta às voltas com Conselho...

por Sarin, em 15.03.19

... de Estado.

 

Com a escrita emperrada depois desta ausência, lancei um postal ainda em edição... mas já está arte-finalizado (ná, nem ilustração tem... mas sempre quis usar esta expressão, e o ladrão faz a ocasião).

 

Podem espreitar o que digo sobre o Conselho de Estado no blogue do costume.

 

logoRasurando.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rasurando a RTP

por Sarin, em 11.02.19

Não, não me dediquei à crítica televisiva.

Mas apoio a Taxa de Audiovisual...

 

logoRasurando.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por falar em OE, então e as GOP?

por Sarin, em 09.02.19

"(...) Assim, o Orçamento do Estado mais não é do que uma imensa lista de despesas, receitas e investimentos apurados (tentem lá fazer isto num processador de texto!), determinados em função das GOP, as quais obedecem ao tal Plano - que se confunde quase sempre com o Programa de Governo. (..)"

 

Reparem nas reticências entre parêntises - há postal antes e há postal depois...

 

logoRasurando.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rasurando impostos...

por Sarin, em 06.02.19

"Quando pensamos em impostos, temos tendência a considerar os impostos e a taxas todos iguais porque vão igualmente para o Estado.

 

Na verdade, não é bem assim."

 

Pois não...

 

logoRasurando.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Em cada blogue cada um ditará as suas regras.

Inquestionável!

Mas é interessante ler a defesa do pluralismo e da transparência, enquanto na sombra da moderação se assiste ao eliminar de comentários incómodos.

Enfim, 

"Um asco".

 

C18AB4D7-8856-41E8-9DA1-70AF7BB0860E.jpeg

F185FD5B-C6FA-4CA7-B98F-46D907F16A1C.jpeg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dizer graças a Deus é já uma expressão natural entre nós, cidadãos de um país com mais de 90% de cristãos. Um país que, sendo cristão, não deixa de ser um estado laico. E que talvez por isso é sede Mundial do Imamat Ismaili, tem um dos maiores templos budistas da Europa e mantém a Concordata com a Santa Sé.

É nestas águas que navego hoje no Rasurando.

 

logoRasurando.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sem qualquer gafe. Pela Gaffe

por Sarin, em 31.01.19

Nota-se que algo de diferente se passa com este blogue... passa, não, não passa, veio para ficar: a imagem.

Desde ontem ao fim do dia que este burgo tem uma outra definição, uma outra apresentação... sim, tem um conceito! Avisei que um dia se encontraria o conceito ao blogue... 

E desde ontem o blogue já tem um conceito, e não fui eu que o encontrei.

Não foi distracção minha: sigo as ideias, os objectivos, e nunca paro para ver a imagem que reflicto nos outros. Atenta sempre às suas reacções, eventualmente adequo a minha postura às suas sem me perder de mim, dos meus valores  - e não me detenho na imagem que deixo pois não sou eu quem interessa, é a mensagem.

Talvez por isso tenha sido surpreendida pela imagem que vejo neste blogue e que é tão minha, tão eu ...  vista por outra alma.

Vista por uma delicada artista que domina a palavra como domina o desenho, se é que pode dominar o que lhe nasce vibrante na indómita inspiração, na profunda visão que lança sobre o mundo enganando quem a confunde com a capa que displicente tem aos ombros.

 

Falo de uma Ruiva que, pese o nom de plume que adoptou, apenas será gafe para quem percorra as suas avenidas distraído. Uma daquelas almas com a qual me cruzei por acaso e nesse cruzamento nos quedámos presas num comum entendimento, irmanadas no gosto pela palavra pelos princípios pela arte pela humanidade.

Gozo a felicidade de contar na blogosfera com esta mulher forte decidida elegante que por aqui se chama Gaffe. Visito-a frequentemente no seu A Gaffe e as Avenidas, reencontro-a no nosso Rasurando, reconheço-a em blogues que me são caros pelos autores e onde a sua sensibilidade e a sua arte os ilustram para lá da palavra - como neste meu pequeno burgo, inundado assim pela sua percepção de mim.

Aqui e assim gravada numa imagem que nunca conseguiria replicar, ainda que tivesse o seu dom.

Um grandenorme obrigado a esta maravilhosa Gaffe!

 

Que, pela imagem traçada, conseguiu levar-me a abandonar o laço que há anos usava. E que vai passar a estar agora na coluna lateral.

Laço Rosa.jpg

Porque as lutas não mudam só porque temos um vestido novo...

... e como eu gosto do meu!

avatar.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

É exactamente isso que alguns bloguistas, incluindo eu, nos propomos: provar que apenas a inércia tem resultado certo. Em grupo, num blogue colectivo, queremos falar, debater, questionar as bases do País em que vivemos.

[Dito assim, "as bases", quase parece conversa partidária... mas não. Nada a ver. Nada mesmo nada! Explico melhor:]

Com o projecto Rasurando queremos discutir o Regime, o Estado, o Sistema Eleitoral, a Cidadania, Portugal e a Europa. Sem objectivos partidários. Mas com muita vontade de perceber o Estado que somos e vivemos e quais as falhas que lhe detectamos, quais os pontos fortes que nos fazem dizer que vale a pena.

Desejamos questionar e debater e levar os nossos leitores a, também eles, questionarem e ponderarem o que e como dizem, exigem, votam. Pretendemos desenvolver em nós e nos que nos são próximos o hábito de avaliar, de não aceitar ou de não rejeitar porque sim porque é hábito porque os outros. Não apenas na hora de votar, mas também ao exigir, ao manifestar opinião ou ao manifestar-se de cartaz na mão - ou de colete às costas, pronto...

Pessoalmente, sei que não vou mudar a forma que os nossos governantes usam para fazer política - mas quero mudar a forma que eu, cidadã, tenho de olhar a política. Quero alterar o verbo: quero ver fazer política, não quero apenas assistir ao que fazem os nossos governantes. Se conseguir levar-vos também a questionarem o vosso olhar, melhor para todos nós. Talvez que, se formos alguns, alguns dos nosso governantes percebam que podem ajustar, ou mesmo mudar drasticamente, algumas posturas. Muitas. Muitos.

Com este projecto, este desafio, procuro mais ideias do que soluções. Porque não há soluções sem diagnóstico, e se alguém disser que sim estará a vender banha da cobra. Não duvidem! Até pode funcionar ao início, afinal a banha amacia a pele e até diminui o atrito nas rodas dentadas se não estiver frio... mas é temporário. Como a casa de palha do porquinho mandrião. Como tantas decisões políticas que vemos e recordamos, de ontem como de há 40 anos.

Assim como não se pode construir uma casa pelo telhado. Mesmo que seja de palha, tem de se apoiar em estacas no solo firme, e quanto mais fundas mais estável. Como as políticas, precisa de estrutura. E é essa estrutura que me interessa perceber, discutir, diagnosticar. Na política, onde tantas vezes olhamos a palha que acoberta porquinhos e lobos maus.

Portanto, vou tentar os diagnósticos que me forem possíveis na companhia dos colegas da blogosfera Eduardo Louro, do Quinta EmendaGaffe, do A Gaffe e as avenidasJúlio Farinha, do oraviva, Mami, do mami, naomedeemouvidos, do Não me dêem ouvidos, e Pedro Vorph, do Blogue de Alterne. Que, como eu, procuram respostas. E que, como eu, acreditam que como cidadãos podemos fazer mais do que apenas dizer mal, sem termos forçosamente de nos envolver em aparelhos partidários. Uma pessoa de cada vez. Ah, sim, somos um grupo e todos os grupos merecem um nome; Opus Grei é o nosso.

 

Como todos os desafios são mais fáceis quando temos apoio, conto, ou melhor, contamos convosco para nos apoiarem - na discussão e na reflexão, no debate.

Temos espaço para questionar, reflectir, partilhar ideias no blogue Rasurando. Cujo caminho vos será desvendado ao clicarem no ícone que encerra este postal.

Como encerrará, aliás, todos os postais publicados nos blogues individuais no âmbito de tal projecto. Nos meus, e nos dos colegas mencionados. Portanto, quando virem este logótipo em algum postal já sabem: há nova discussão no Rasurando. Que terá as discussões sempre abertas a quem aparecer sem propaganda.

Espero encontrar-vos também por lá. A partir de hoje.

 

7F80ADE4-B2DA-44A0-B106-C8DB3336AF16.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alerta: comentários desaparecidos!

por Sarin, em 17.01.19

F0CBCBDC-FB4D-4C01-B893-5E404D80B104.jpeg

(imagem de espelho à venda aqui)

 

Procura-se comentário com pouco mais de quatro horas de vida.

Visto pela última vez hoje às 14h18, quando saiu do rascunho em direcção ao postal para onde se haviam encaminhado vários dos seus irmãos, um dos mais próximos em idade também desaparecido vinte e quatro horas antes.

Não se suspeita de aliciamento e rapto, pois embora pacatos e respeitadores não seriam muito atraentes para quem no caminho; também a hipótese de descaminho no destino está posta de lado, já que rumavam a um grande defensor da ética e da liberdade de expressão, diligente denunciador dos abusos e atropelos dos novos censores que jamais compactuaria com tais manobras. 

Terão sido interceptados por desconhecidos ao ultrapassarem o perímetro de segurança da OHNU, que reune hoje no Porto?

Desconhece-se o paradeiro, é a única certeza. E supõem-se mortos pois nem do registo constam já, assim prematuramente apagados da existência a que haviam sido destinados.

Previdentemente, o mais novo deixou foto para o caso de se repetir a fatalidade. Divulga-se na esperança de que seja útil nas operações de busca.

Dão-se alvíssaras a quem encontrar!

E55FCB52-D52E-41D0-9943-CB3935752C8C.jpeg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Oh gentes que clicais e replicais...

por Sarin, em 05.01.19

Escrevo postais aqui e partilho-os automaticamente no Facebook. Este percorreu caminho inverso - exactamente porque nascido de uma irritaçãozinha por aquelas bandas. Nada de original, as falsas informações são difundidas em todas as plataformas - mas, caramba, vou ao FB responder a mensagens e levo com repetições que me entram pelo feed  dentro sem terem sequer a decência de bater à porta? Bati com a porta... mas não sei se terá eco.

 

Enfim, lanço em postal o facebookiano desabafo em forma de apelo ou vice-versa. Ei-lo:

 

Voltei ao FB ao fim de muitos anos.
Pouco aqui comunico, confesso.
Um dos motivos que me afastou do FB, e continua a afastar, é o verificar a facilidade com que por aqui se propagam falsas informações, sem qualquer cuidado ou atenção por parte de quem as clica e replica... em três dias vi, difundidas por várias pessoas sem qualquer ligação entre si, partilhas sobre pedidos de doação de sangue e de medula para hospitais que não as solicitaram; mortes por afogamentos secundários mais de uma semana depois do afogamento primário; mortes por ingestão de bebidas com a rodelinha de limão que, cortada e guardada no frigorífico, teria envenenado as bebidas; e mais umas quantas bizarrias ou informações estranhas.

Será que custa muito verificar a autenticidade da informação antes de a partilhar? Uma breve pesquisa na net e encontram-se desmentidos emitidos por fontes fidedignas - ou, pelo contrário, apenas se encontram referências em blogues e sítios não especializados. Ou pode-se sempre enviar um brevíssimo email para as entidades mencionadas em tais postais - geralmente todas as informações falsas trazem qualquer coisa de verdade, como dizia Aleixo, e este qualquer coisa, noto-o, é normalmente alguém ou alguma instituição real.
Sempre vos digo que, das vezes que enviei emails a solicitar esclarecimentos, em todas obtive respostas semelhantes e mais ou menos elaboradas mas que resumo de forma telegráfica: "Falso. Agradecemos informação." Esclareço que, sobre a notícia do afogamento secundário, não sei ainda se falso ou verídico pois enviei há minutos um email para a Cleveland Clinic - estranho ter ocorrido mais de 48h após afogamento, mas poderá ser verdade... no meio de informações estranhas podem surgir as que, estranhando-se, sejam verdadeiras.

Repassar informação cuja veracidade se desconhece é uma das piores formas de bisbilhotice, acreditem!
Porque, ao fazê-lo de boa fé, se colabora no ataque a pessoas ou instituições - e há sempre alguém que sai prejudicado.
Imaginemos o problema logístico que se criaria num hospital se 1% das pessoas que partilham um falso pedido de sangue acorressem ao hospital de X com a boa intenção de doar sangue não solicitado, sem falar no transtorno para os que se deslocam e na descrença futura que se origina - Pedro e o Lobo, recordam-se da história? Ou o prejuízo, tempo dinheiro paciência, se num bar ou num restaurante as rodelas de limão fossem cortadas no momento da preparação da bebida - que pode ir do simples "copo de água com rodelinha de limão" ao mais elaborado cocktail...
Haverá informações que, sendo falsas, aparentemente serão inofensivas - mas não são, nunca são pois podem potenciar uma resposta ou um estado de alerta anormal ou desproporcional em alguém.

Não me vou perder nos motivos que levam idiotas, psicopatas, técnicos de marketing e avençados a lançar falsas informações.
Peço-vos apenas que ponderem se valerá a pena apoiar tais gentes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obrigada por estar aqui.




logo.jpg



Localizar por cá

  Pesquisar no Blog



Memórias

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.