Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

O meu 25 de Abril

Esta música resume o que foi

Como foi... era tão mas tão novinha que só mais tarde aprendi a letra das músicas que me embalaram.

Mas isto é o que sinto quando penso

25 de Abril,

Revolução dos Cravos,

Liberdade.

 

Das muitas canções que associo à Resistência, à Guerra, à Revolução, à Liberdade e à Esperança, e são tantas e tão fortes, esta abraça-as a todas.

Passado Presente e Futuro num canto de alegria.

Na voz de quem fez e cantou a Revolução.

Ficou perdida de quase todos. Mas nada lhe falta para ser Hino.

Ao Capitão Duarte Mendes,

Obrigada

 

Aos Resistentes,

Aos Capitães,

Obrigada, Sempre!

 

MADRUGADA

de José Luís Tinoco

 

Dos que morreram sem saber porquê
Dos que teimaram em silêncio e frio
Da força nascida do medo
Da raiva à solta manhã cedo
Fazem-se as margens do meu rio.

Das cicatrizes do meu chão antigo
E da memória do meu sangue em fogo
Da escuridão a abrir em cor
De braço dado e a arma flor
Fazem-se as margens do meu povo

Canta-se a gente que a si mesma se descobre

E acordem luzes arraiais
Canta-se a terra que a si mesma se devolve

Que o canto assim nunca é demais

Em cada veia o sangue espera a vez
Em cada fala se persegue o dia
E assim se aprendem as marés
Assim se cresce e ganha pé
Rompe a canção que não havia

Acordem luzes nos umbrais que a tarde
cega
Acordem vozes, arraiais
Cantam despertos na manhã que a noite entrega
Que o canto assim nunca é demais

Cantem marés por essas praias de sargaços
Acordem vozes, arraiais
Corram descalços rente ao cais, abram abraços
Que o canto assim nunca é demais
O canto assim nunca é demais

2 comentários

[A palavra a quem a quer]