Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Lido e ouvido sobre o racismo

por Sarin, em 23.06.19

A8772168-2005-4489-ACE8-530CF8F04F67.jpeg

Na sexta-feira li de Alexandra Lucas Coelho um artigo de opinião no qual estranha a quase inexistência de alunos negros numa escola de artes cénicas sediada numa zona onde costuma "ser das poucas pessoas brancas, ou mesmo a única, numa carruagem, sobretudo à noite."

Não concordarei com tudo o que diz ALC, até porque no texto defende a inclusão da tal pergunta, mas percebo onde quer chegar. Nomeadamente, à inexistência de dados que sustententem ou rebatam a sua percepção quanto à desproporção entre o número de alunos negros e a população envolvente.

Algures no texto, indica o racismo como uma das causas para a falta de representatividade de negros numa escola inserida num meio proeminentemente negro.

Não argumento - como ela, não conheço os números. E não tenho a sua percepção, pois não vivo na Grande Lisboa. Mas também noto a quase inexistência de professores negros, bancários negros, jornalistas negros, actores negros, médicos negros, empresários negros. E interrogo-me porquê.

Ontem mal consegui ler fosse o que fosse, mas passou-me pelos olhos um artigo lido agora com calma, que refere que Milton Gonçalves, actor e presidente do brasileiro Sindicato dos Artistas, vai processar Paulo Betti, actor e concorrente à direcção do mesmo sindicato, por racismo. Porque este terá dito que a actual direcção tem  "uma forte representação negra e isso pode confundir as coisas" - presumindo eu que "as coisas" sejam a luta sindical e a luta contra a discriminação, esta muito activa no Brasil.

 

E pergunto-me que mundo é este, onde uma fotografia e o seu negativo são declarados racistas mas pelos motivos inversos: haver poucos negros numa instituição é racismo, dizer que há mais negros do que brancos numa instituição é racismo. Assim. E em português.

 

 

Esta madrugada, Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares falaram também da pergunta recusada pelo INE. JMT ficou-se no nim, ao recusar o endosso de "raça" mas ao ser sensível ao argumento da necessidade de quantificar a população das várias comunidades (sim, a pergunta já vai com esta interpretação), PM apontou a necessidade de tal quantificação mas também a importância de clarificar a recusa do INE, pois com a recusa ficou no ar a ideia de um inquérito autónomo e mais aprofundado sobre a questão (também assim li, e a ele aludo no meu postal quando digo responder mas não ao Gabinete dos Censos), e RAP, o mais parco em explicações na matéria, teve a frase da noite, que tento citar de memória "No meu tempo, os racistas é que falavam em raça. E digo 'no meu tempo' porque o que antes era racismo agora já não é, e o que hoje é racismo na altura não era."

Os seus tempos são também os meus.

 

 

imagem colhida no Mercado Livre

[Cuidemos de todos cuidando de nós: Etiqueta respiratória. Higiene. Distância física. Calma. Senso. Civismo.]
[há dias de muita inspiração. outros que não. nada como espreitar também os postais anteriores]

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 09:43

Onde ideias-desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor.


Obrigada por estar aqui.



4 comentários

Imagem de perfil

De imsilva a 23.06.2019 às 10:53

A minha falta de tempo para captar o que anda por aí é tremenda, mas andava a tentar perceber, como é que poderia explicar que concordo com a inclusão  da dita pergunta  no censos, e oferecês-te-ma. "Necessidade de quantificar a população  das várias comunidades" Acho que faz todo o sentido. Se queremos saber quantos somos, que idade temos, então ficará incompleto se não soubermos quais as raças de que somos compostos. Para mim isso não tem nada a ver com racismo, mas sim com informação sobre a nossa comunidade. E agora vou trabalhar, que é coisa que não aperece em censo algum, os que trabalham ao fim-de-semana. Bom domingo.
Imagem de perfil

De Sarin a 23.06.2019 às 16:19

Não aceito a existência de raças humanas. E acho que se as etnias existentes não se caracterizam com uma pergunta, ainda por cima aberta, ainda para mais opcional. As etnias caracterizam-se, e quantificam-se os seus membros com inquéritos exaustivos, pormenorizados.

Ao falares em "saber de que raças somos compostos", estás a assumir a existência de raças humanas. Quais e como se distinguem?
Imagem de perfil

De imsilva a 24.06.2019 às 10:28

Raças, etnias, é a mesma coisa, não estaremos a dar demasiada importância às palavras? Vamos simplificá-las, vamos tirar o peso com que neste momento estão a carregá-las. Tudo tem importância relativa, se não somos racistas, porquê estar a dar estas voltas ao assunto? Não podemos negar que existem raças, é um facto, só não sei porquê existe a celeuma. Vamos relativizar!
Imagem de perfil

De Sarin a 24.06.2019 às 10:38

Eu não sou. Tu talvez não sejas. Mas há quem seja. Há quem acredite em raças humanas e que ache umas superiores a outras.
Por isso não, lamento mas não podemos simplificar a questão dizendo "raça ou etnia é tudo a mesma coisa".

[a palavra a quem a quer]:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




logo.jpg




e uma viagem diferente



Localizar no burgo

  Pesquisar no Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Cave do Tombo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D