Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

este verão eu vou...

... participar numa cadeia que liga bloguistas por listas e boa disposição. Ou assim espero.

 

Antes de avançar, agradeço ao sofá.branco o ter-me metido nisto . E agradeço já porque mais tarde posso arrepender-me - estas listas são sempre mais difíceis de fazer do que parecem... e se assim for, garanto que não me esquecerei do responsável! 

 

É uma novidade para mim, e é uma forma de nos visitarmos uns aos outros - por aí já é interessante.

Se saberei ligar e entre-ligar o desafio e a malta é o que se verá; mas mãos à obra...

 

 

porque Summertime é tempo de colheita, segundo a Ella Fitzgerald e o Louis Armstrong:

 

 

  

O desafio consiste em listar 10 actividades que tenciono fazer este Verão. 

Confesso que não é fácil. Sou mais de impossibilidades a longo prazo, mas apenas porque gosto de verbos difíceis e procrastinar é o nome que darei ao próximo animal que me adoptar.

Enfim, depois de listadas, há que passar a pasta a 5 vizinhos. Esta é certamente mais fácil e talvez mais divertida. 

Não se aceitam devoluções, informo já... mas as regras ditam que me apontem o dedo, i.e, que me liguem na resposta. Se não acreditam, vejam o que escreveram os que me antecederam! 

 

'Bora lá à lista:

 

1. Rever o conceito de tag aqui no blogue.

E transformar as actuais coordenadas em menus, se for possível.

Se tiver a sorte de atinar com o conceito da tag como com o do blogue, colocarei esta na lista do Pai Natal.

 

2. Apanhar Sol.

Não sou dada a muita luminosidade; mas dizem que a lixívia faz mal à saúde, portanto enfrentemos o destino. Acho que escolhi um bom ano para tal.

 

3. Comer menos fruta.

O Verão traz-me pêssegos, ameixas, melancias, amoras, morangos, cerejas, fisálias, camarinhas... até uvas e maçãs rijas e sumarentas, dois dos meus conservados frutos de todo o ano. Sei que esta coisa da globalidade também nos dá a mesma fruta semana a semana em cada supermercado nosso; mas prefiro a minha fruta a saber o menos possível a petróleo. E tenho a sorte de a poder comer à colheita... Por isso sou como a formiguinha do La Fontaine, trabalho arduamente no Verão para armazenar para os outros meses. E tudo por amor às cagarras...

Mas este ano vai ser diferente! Assim que acabar esta talhada. A quarta vem a seguir...

 

4. Fazer mais palavras-cruzadas

É um passatempo que me permite escrever pequenos nadas por causa da geometria da coisa - parecem pensamentos organizados, e talvez por isso permitam a abstracção. Sim, o papel é pretexto para divagar. Porque o que me cansa mesmo e deixa maluca são as palavras descruzadas do dia-a-dia.

 

5. Ouvir mais música.

Ouvir música é um ritual intimista. Que, ao contrário da leitura, não gosto de praticar em público: sempre me ensinaram ser feio olhar para os outros com olhos vazios, pois que todos os sentidos se me enchem e de alguma forma sou abduzida de mim mesma...

Mas preciso urgentemente de me dedicar mais horas de som.

De ruído estou farta. É como as cerejas, por isso não me posso esquecer do ponto 3.

 

6. Jogar mais jogos de cartas e de tabuleiro.

Sou fã de noitadas de conversa em volta de baralhos e dominós e triviais e monopólios e cervejas e assim e assado e tremoços e...

E jogos significam sempre reencontros.

 

7. Sentar-me na varanda e curtir o som que me chega do rio. Ou do Castelo.

As rãs gostam da cidade. São umas porreiras.

E, mais uma vez, esqueci-me de comprar bilhete para o Entre-Muralhas, portanto resta vociferar em silêncio e esperar que o vento esteja a favor... 

 

8. Usar os meus colares e pulseiras de Verão.

Verão é Verão, e os lápis-lazuli e os cobres e os couros e os falsos corais vão mesmo bem com os tons dourados que a minha pele há-de ganhar por apanhar Sol cf. 2.

Senão, uso-os todos no Natal. Poupo na árvore.

 

9. Caminhar...

... e arranjar resposta para as desculpas que invento para não o fazer.

É um desperdício de beira-rio ao pé de casa, e eu embirro com as pessoas que reclamam contra as autarquias e contra o Estado, mas não vivem as pequenas municipalidades que têm à porta.

Acho que vou escrever esta frase nos espelhos cá de casa.

 

10. Ver a agenda municipal com atenção.

E agendar-me melhor com ela.

Também vou escrever esta nos espelhos. Mas do elevador do prédio, que têm mais iluminação.

 

 

Foi difícil, mas cheguei às dez possibilidades: meio desafio cumprido!

Falta cumprir a lista. Pois...

 

E agora falta dar tal trabalho a outros... 

HD do Hetero Doméstico, jpt d' O Flávio, Maria Dulce do A contar vindo do céu, Pedro Silva d' O Gato no Telhado e Eduardo Louro do Quinta Emenda: estão convidados para o desafio. Não sei se os blogues alojados fora do Sapo receberão a informação da ligação, mas caso aqui passem atentem nos vossos nomes nas linhas de cima... e considerem-se notificados.

 

Quem não foi nomeado, não julgue que escapou: há mais marés que marinheiros.

E todos são bem-vindos ao desafio, portanto sintam-se como se na esplanada.

Bom Verão -  e quando o encontrarem não o larguem!

 

 

Até lá, deixo o esconjuro para a chuva: Mungo Jerry in the summertime 

 

 

 

 

 

*** Obrigada por estar aqui. Sarin *** Info sobre o blogue em i, no cabeçalho

36 comentários

[A palavra a quem a quer]