Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Do desconhecimento de quem publica

por Sarin, em 04.11.18

ou Como uma expressão transforma uma notícia em insulto

 

Passeando os olhos por notícias do mundo do espectáculo, dei com uma notícia já com vários meses sobre uma reunião de parte do elenco de "O Gladiador". Algures no texto, surge a frase "Lisa Gerrard também esteve presente para a interpretação vocal da banda sonora que a tornou famosa (...)".

É um artigo Sapo Mag, assinado por L.S., cujo nome ou informações adicionais procurei mas não encontrei. Será talvez um estagiário, pessoa novita e sem experiência na pesquisa de factos - ou será talvez um experimentado jornalista que se esqueceu de como se escrevem notícias.

Lamento-o, em ambos os casos. Porquê?

 

Porque Lisa Gerrard tem uma carreira iniciada em 1981, fez parte de uma banda de culto com projecção internacional, milhões de discos vendidos e músicas em várias bandas sonoras...

Lisa Gerrard é a famosa voz feminina dos Dead Can Dance, banda incontornável da década de '80 e da história da música por serem parte das raízes do estilo gótico.

Repito:

Lisa Gerrard é a famosa voz feminina dos Dead Can Dance, banda incontornável da década de '80 e da história da música por serem parte das raízes do estilo gótico.

 

Noutra secção não seria motivo da minha indignação. Mas o Sapo Mag é suposto ser sobre cinema, televisão e música - apesar de misturar histórias destas artes com historietas dos seus artistas.

Lisa Gerrard e Dead Can Dance são (e repito!) parte da História da música do pós - II Guerra. Não os conhecerem numa secção supostamente especializada não abonará muito a favor da secção - mas certamente não é tão grave como não pesquisarem as pessoas sobre as quais escrevem. Nas décadas de '80 e '90 é que a pesquisa era morosa, entre jornais mal arquivados e programas gravados em cassetes; em 2018 apenas é admissível em info-excluídos.

 

Não tenho facebook. Peço a quem ler este postal, tiver FB e quiser fazer uma boa acção que aponte ao/à tal L.S. o insulto que escreveu.

 

Deixo este excerto do filme-documentário "Baraka", de Ron Fricke.

A música, The host of Seraphim, claro que é dos DCD.

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obrigada por estar aqui.



20 comentários

Sem imagem de perfil

De Não Identificado a 04.11.2018 às 16:32

Comentário apagado.
Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 16:47

Tem que pedir desculpa a si mesma por não ter percebido o que foi escrito.


Lisa Gerrard não ficou famosa por causa do filme "O Gladiador". Já era famosa muito antes. Conforme digo no postal.
Sem imagem de perfil

De Não Identificado a 04.11.2018 às 17:23

Comentário apagado.
Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 17:40

É de facto lamentável que continue a não perceber o que outros escrevem.


"Ir-se ao FB do L.S. desancar o homem ou a mulher" será algo que a senhora terá como normal e daí a leitura que fez do meu apelo; pelo contrário, eu solicito que indiquem no Sapo Mag, cujos comentários são feitos na plataforma FB, o insulto de, numa secção especializada em música, escreverem que um dos nomes históricos da música gótica atingiu a fama com uma banda sonora de um filme surgido quase 20 anos depois.


Repetindo as suas palavras, é de facto lamentável que assim tenha comentado e aqui deixado os sintomas da sua forma de pensar.
Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 23:41

Novo comentário

Maria Rocha Soares respondeu ao seu comentário no post Do desconhecimento de quem publica às 17:20, 04/11/2018 :

Claro que a senhora já era famosa há muito e não por estar envolvida na banda sonora(como outros) do citado filme. No entanto e quanto a eu não perceber (sabe, que sou ignorante...) o seu post é de uma agressividade para com alguém que APENAS e destaco apenas, escreveu algo simples e (a meu ver) não tão insultuoso como o quer fazer passar. Enfim... são perspectivas. Daí a ir-se ao Facebook do L.S desancar o homem ou mulher, só por um deslize, se o podemos considerar assim. Veja que não chamaram a Lisa Gerrard nenhum nome ofensivo e nem a desmereceram. Dizr que alcançou o "estrelato" com Galdiador, talvez fosse um lapso mas nada de mais. Pelo contrário, o filme foi tão falado premiado (mesmo na música) que talvez também contribuísse para ainda a enaltecer mais. Peço-lhe desculpa de ter comentado e ter deixado a qui os sinais da minha burrice. 

Pode responder ao comentário usando esta ligação.

Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 23:46

Publico os comentários apagados pela própria porque não tenho paciência para pessoas que não pedem desculpa pelo tom que usam quando se dirigem aos outros. Reflectir antes de escrever é bom, assumir os enganos também.
Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 23:38

Detesto falar sozinha:

Novo comentário

Maria Rocha Soares comentou o post Do desconhecimento de quem publicaàs 16:30, 04/11/2018 :

Então isto, quanto a si, está errado. Como pode ver a Linda Gerrard de que fala é exactamente esta. https://pt.wikipedia.org/wiki/Lisa_Gerrard Basta clicar no nome, no primeiro link para vir dar ao segundo. Sendo assim, talvez deva umas desculpas ao Sapo Mag. Mas também posso ser eu a ter de lhe pedir desculpa a si, pela minha ignorância e audácia de fazer o reparo. Um resto de bom domingo!

Pode responder ao comentário usando esta ligação.

Imagem de perfil

De HD a 04.11.2018 às 21:28

Que tema fascinante e que documentário lendário! :-)


Acho que Lisa ainda nem sequer é famosa hehehe
Imagem de perfil

De Sarin a 04.11.2018 às 21:45

O documentário é lendário, sim, e é pena não passar na TV.


Já a melodia, é de uns malandros desconhecidos que faziam música esquisita que ninguém conhece ;)
Imagem de perfil

De HD a 05.11.2018 às 17:54

Um culto, ambos :-)
Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 18:31

Meus, são ;)
Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 05.11.2018 às 14:08

Para quem despreza a música/arte, ou a acha pouco séria, pois afinal os artistas são marados e não produzem sequer um parafuso, até percebo a indignação à indignação de alguém melómano. Confundir Lisa Gerrard com uma novata, lançada ao estrelato tardio pela banda sonora do Gladiador, seria disparate do mesmo quilate do que aquele que diz terem sido os Lusíadas escritos pelo macaco Adriano. 
Mais "triste" é ter sido escrito numa secção especializada….
Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 14:38

Nem mais!


Já agora, quem é esse Adriano? 
Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 16:46

Como deves ter reparado, respondi, por engano, na sequência da música que partilhaste -  era resposta a este... 
Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 14:47

Tem uma voz fantástica...


Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 14:52

Ok... 




Viste a postura da senhora que veio para aqui armada ao pingarelho, barafustou com sobranceria e depois teve a lata de apagar os comentários?! Caramba, isso não!
Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 05.11.2018 às 20:46

Na minha casa entra quem eu quero. E na tua?
Imagem de perfil

De Sarin a 05.11.2018 às 21:09

Na minha, idem, mas o bogue é a minha esplanada, há passantes e são bem-vindos mesmo que discordem e se armem aos cucos desde que respeitem a regra da tolerância.


O que não admito é que apareçam por aqui armados em chicos-espertos, levem nas orelhas e depois apaguem para não ficarem mal na foto. Escreveu, é para a posteridade :)
Imagem de perfil

De Sarin a 17.11.2018 às 22:30

Teste: comentário para ser ligado
Imagem de perfil

De Sarin a 17.11.2018 às 22:39

Teste
javascript:nicTemp(); (ligação de comentário)



javascript:nicTemp();

(ligação de postal)


javascript:nicTemp();

(ligação exterior)




Desisto de fazer ligações em comentários!

a palavra a quem a quer




logo.jpg



Localizar por cá

  Pesquisar no Blog



Memórias

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.