Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Bolsonaros

por Sarin, em 15.05.19

B9FF8FAD-8B3D-466C-8E5F-A130DB3F285E.jpeg

 

Foi nisto e nisto que votaram os brasileiros que escolheram Bolsonaro.

Não foi por falta de avisos. Não foi por falta de alternativas. Não foi por erro de interpretação - vejam o que em quatro meses já foi mal interpretado.

Não adianta fazerem mea culpa, rasgarem as vestes, subirem de joelhos ao Corcovado. Elegeram-no, aturem-no ou destituam-no, se conseguirem.

Mas, em última análise, não adiantará emigrarem. O Planeta é o mesmo. Se dúvidas tivessem, o filho acabou de o demonstrar.

 

 

 

imagem recolhida no catraca livre

[Cuidemos de todos cuidando de nós: Etiqueta respiratória. Higiene. Distância física. Calma. Senso. Civismo.]
[há dias de muita inspiração. outros que não. nada como espreitar também os postais anteriores]

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 08:57

Onde ideias-desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor.


Obrigada por estar aqui.



31 comentários

Sem imagem de perfil

De Robinson Kanes a 15.05.2019 às 22:51

Faz uma pergunta interessante? Tratados, e quem os tem respeitado? Se quem tem armas não as elimina... Denote que não estou a defender a existência de arsenais nucleares. 


O Brasil quer assumir-se como a potência da América do Sul, isso não é segredo...


No Paquistão e na Índia, sabe que não é só isso... Uma guerra convencional é uma hipótese há muito em cima da mesa e que só não estala porque existe poderio nuclear... E não é eventual...
Bolsonaro não mentiu, esse é um facto que ainda custa a engolir... Porque votaram nele? O PT foi uma utopia que os brasileiros acreditaram que poderia ser realidade... O resultado está aí, a culpa foi do PT... O mesmo se passa com o Podemos em Espanha...
Imagem de perfil

De Sarin a 15.05.2019 às 23:33

Têm-os respeitado a União Europeia, a China, a Rússia, a Austrália, o Canadá, a Africa do Sul...


Como potência bélica? O "Brasil", não, Bolsonaro e os Generais.


A guerra entre o Paquistão e a Índia não estala porque a Comonwealth lhes encerraria as portas, e sem esta bem que se poderiam pendurar na ponta das ogivas que de nada lhes serviria.


A muitos brasileiros que nele votaram e a alguns portugueses que o apoiaram é que custa engolir, e ainda agora começaram os amargos de boca. Sempre disse que nos EUA Trump tem uma democracia sólida para lhe anular  os impulsos mais inconvenientes - no Brasil não há nada disso e Bolsonaro teria carta branca. Ei-la.


Atribuir ao PT a responsabilidade pela eleição de Bolsonaro é, simultaneamente, não assumir as falhas de todos os partidos à direita do PT e classificá-los de irrelevantes no panorama brasileiro. Nenhuma destas premissas é verdadeira, portanto também a premissa inicial não o é.
Além disso, responsabilizar o PT por ter levado os brasileiros a preferirem o extremismo de Direita é chamar idiotas vingativos aos brasileiros. Talvez sejam, mas por opção e não porque empurrados.
Finalmente, responsabilizar o PT pelos votos em Bolsonaro é ignorar o processo de radicalização religiosa e miscegenação religioso-partidária  que tem vindo a criar raízes no Brasil desde os tempos de Sarney, durante cujo mandato a Rede Record foi adquirida pela IURD.
Imagem de perfil

De Sarin a 16.05.2019 às 00:01

Têm-nos respeitado, têm-nos respeitado.... 
Sem imagem de perfil

De Robinson Kanes a 16.05.2019 às 15:31

Não têm... Sabe que não têm... 


Em relação à afirmação como potência bélica, não vou tecer comentários sobre quem quer o quê... Potência económica e política e o alicerce é bélico, uma coisa vai trazer a outra... É assim que a Rússia também vai conseguindo manter o seu factor de influência junto dos países vizinhos.


Olhe que a Índia, por exemplo, já viveria bem sem a Comonwealth... Ja a Comonwealth sem a Índia...
Em relação a Bolsonaro e a quem votou nele, os factos falam por si, não insisto na discussão, está claro, não adiante negar. Pegou naquilo que era importante para os brasileiros e vendeu-lhes a ideia... Está aí o resultado, esperemos para ver.


Sarin, não seja emotiva, ou melhor, não coloque essa emoção do lado dos brasileiros... Os regimes mudam porque algo está mal, os regimes políticos mudam porque quem lá esteve desiludiu por completo o eleitorado... Portanto é verdade... Veja-se a Alemanha do pós-guerra. Em Portugal, é caricato, castigam que obriga a apertar o cinto a bem da economia e promove quem promete mundos e fundos... Ainda não aprenderam isto em quase meio século de Democracia.


Dizer que Bolsonaro é o mal de todos os males e procurar todos os argumentos possíveis para descridibilizar o mesmo, tornando-o culpado de tudo e ilibando quem colocou o Brasil no estado em que está é que é errado e pouco realista.


P.S.: volto a reforçar, eu nem sou apoiante de Bolsonaro, mas não consigo ignorar aquilo que está à frente dos meus olhos. Posso estar errado, mas existem factos cabalmente comprováveis.
Imagem de perfil

De Sarin a 16.05.2019 às 15:49

O Robinson é que está a recusar todo um conjunto de factos e actores para atribuir responsabilidades a um único actor, no caso o PT.
Porque os regimes não mudam apenas devido a um actor, muito menos mudam em pouco tempo.
Hitler ascendeu ao poder devido a problemas que já vinham de antes da I Guerra. Gomes da Costa e Salazar também.


Não percebo onde vai sustentar o seu último parágrafo - culpar Bolsonaro por tudo? Eu não culpo, responsabilizo, e apenas o responsabilizo pelas medidas que toma.


A Alemanha, o Canadá, a Argentina, a África do Sul - não são potências bélicas e no entanto são economias respeitadas pelos seus vizinhos. Só vê solução no armamento quem quer. E, repito, o Brasil não está sob ameaça - desconfio é que o pretende ser.



Sobre os tratados, reitero a minha afirmação.
Sem imagem de perfil

De Robinson Kanes a 19.05.2019 às 20:36

E Bolsonaro também :-)


Basta ler quem não gosta do mesmo, ou melhor, está a perder privilégios (e neste último ponto até estou a incluir alguns brasileiros) e alguns até escrevem por "aqui". Chega-se ao cúmulo de culpar Bolsonaro por homicídios recentes como se o Brasil fosse uma espécie de Islândia latina.


A Alemanha não o é por razões óbvias. O Canadá é um bom exemplo que dá, no entanto a Argentina - em comparação com o Chile e Uruguai até arrisco dizer que sai a perder...


Pronto, não partilhamos da mesma opinião, também não pode ser sempre de acordo - e sinto que ainda vamos falar muito desta temática no futuro.
Imagem de perfil

De Sarin a 19.05.2019 às 20:46

Robinson, suponho que já tenha percebido que eu não costumo culpar ninguém, quando muito responsabilizo - mas há muito quem caia nessa arte de culpar alguém pelos males do Mundo, veja agora o Berardo :))


A Alemanha não o é por razões óbvias, e ainda assim é uma potência económica. Acho a Argentina preponderante no Mercosul, mas não tenho conhecimentos actualizados que me permitam sustentar se sai a ganhar ou a perder com os dois que indica.


Se concordássemos em tudo, discutíamos o quê? :))
Sem imagem de perfil

De Robinson Kanes a 19.05.2019 às 20:56

Berardo fez o que lhe deixaram fazer... Devia ter-se metido no futebol que passava em branco... E assim sempre faz esquecer os verdadeiros protagonistas da corrupção nacional..


Os Alemães são um povo tramado... A cultura dos mesmos foi fundamental para esse sucesso, infelizmente, o Brasil (como Portugal) não se podem gabar dessa faceta.


As montras e culinária :-)
Imagem de perfil

De Sarin a 19.05.2019 às 21:02

Exactamente, fez o que o deixaram fazer e, até, o que lhe pediram para fazer. Nestes mais de 30 anos, convém relembrar.


Esse da cultura é outro tema recorrente 

[a palavra a quem a quer]




logo.jpg




e uma viagem diferente



Localizar no burgo

  Pesquisar no Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Cave do Tombo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D