Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

Sarin - nem lixívia nem limonada

Um blogue irregular onde ideias e desabafos podem nascer e morrer. Ou apenas ganhar bolor. Não faltava onde escrever e opinar. Mas faltava o blogue. Pronto, agora já não.

A outra metade da mesma indiferença

1F4F4D96-619E-4034-837B-FA85E79FF3DB.jpeg(fonte da imagem aqui)

 

"Muito obrigada por esta honra, mas o único prémio no mundo capaz de restaurar a nossa  dignidade continua a ser a justiça e a acusação dos criminosos".

 

A violência sofrida na primeira pessoa agradece assim o Nobel da Paz.

Porque a violência continua e continuam os crimes contra a humanidade, enquanto assistimos às cerimónias porque a humanidade sofrida é um grupo de indivíduos distante e sem nome sem rosto sem nada.

Nadia Murad mostra-nos um desses rostos. Nadia Murad é um desses rostos. Tem no corpo e na alma o dever de nos mandar para o inferno pela indiferença com que deixámos acontecer o prémio que lhe aplaudimos... e ainda assim só nos pede a justiça que lhe falhámos entre tantas outras culpas.

Para ler. E reler até fazer sentido. Porque agora não faz.

 

Obrigada por estar aqui.

32 comentários

[A palavra a quem a quer]