Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



SE

Margarida Martins pensa que imigrantes que votam em candidatos vencedores devem voltar ao seu país.... Tem todo o direito de o pensar.

Publicou o que pensa no seu espaço pessoal numa rede social... Tem todo o direito de publicar o que quer no seu espaço pessoal.

Eliminou o que havia publicado... Tem todo o direito de eliminar o que publicou.

 

MAS

Margarida Martins ocupa um cargo público. No âmbito do qual valida atestados de residência.

Foi eleita e representa os cidadãos da sua autarquia, entre eles naturais de outros países residentes em Portugal.

Por algum motivo que não divulgou, eliminou o que publicou mas não retirou o que publicou.

 

PORTANTO

Margarida Martins não se envergonhou por ter publicado um postal que contradiz a matriz democrata que clama ser sua.

Não se envergonhou por ignorar parte dos cidadãos perante quem tem de prestar contas enquanto autarca, já não falando dos seus concidadãos que residem por esse mundo.

Não se envergonhou por ter desprezado elementares regras de urbanidade, como pedir desculpa quando e onde se falha mesmo que incipiente se sinta a responsabilidade ou a gravidade.

 

 AFINAL

Como coube uma tão grande falta de vergonha num postal em tudo tão pequenino?!

 

ENFIM 

Não é a primeira vez que pessoas com responsabilidades públicas falam e publicam irreflectidamente, quantas  vezes para satisfazer a tão na moda urgência em partilhar com o mundo.

Mas há irreflexões mais graves que outras, e tanto os gestores da coisa pública como os cidadãos têm o dever de analisar calma mas amplamente o que dizem e escrevem publicamente, assumindo a responsabilidade de exercerem o direito e usufruirem da liberdade de expressão. No caso, as responsabilidades que são políticas.

 

Já é tempo de sermos responsáveis e exigirmos responsabilidade efectiva a quem formalmente a damos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 03:34

Aleluia, Messias!

por Sarin, em 31.10.18

0274A8AD-1598-420F-983F-1F328FABA5F3.jpeg

(fonte da imagem aqui)

 

Desdenhou Belém do Pará e desceu em Brasília, derrotou o velho David, tentará o milagre da multiplicação das balas, promete 30 dinheiros pelos inimigos, deixará Pilatos de mãos sujas por lhe privatizar a Bacia e tentará ressuscitar o Regime, declarando apócrifos os escritos onde lhe chamam Ditadura.

 

Acho que é este o texto do novíssimo livro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 01:35

As eleições no Brasil e La Fontaine

por Sarin, em 24.10.18

transferir.jpg

 (fonte da imagem aqui)

 

 

Tenho andado afastada... Reconheço que ultimamente me apetece mais comentar que lançar postais - falta de paciência para estar frente ao pc, noção de que o que quero escrever se torna moroso no telemóvel, enfim, cabeça a mil e mãos em velocidade de cruzeiro aportado.

 

Num exercício de preguiça activa, deixo aqui um comentário que encontrei sobre as eleições no Brasil e que é uma excelente súmula para aquilo que penso.

 

"(...) Era uma vez a cigarra que não gostava da formiga e votou no insecticida. No final morreram todos, até o grilo que se absteve."

(https://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/o-acto-de-votar-10338886?thread=80593734#t80593734)

 

Isto a propósito de um postal de Alexandre Guerra no Delito de Opinião, sobre o qual manifestei o meu desacordo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 13:44

As bétulas também dançam

por Sarin, em 14.10.18

 

 

Berezka Ensemble

também conhecido como

Ballet Beriozka

 

 

Sobre a Dança

A berioska é uma dança erudita com inspiração folclórica de origem russa.

Distingue-se pela imobilidade do tronco, pelos gestos suaves de cabeça e braços, e pela sua mais conhecida e muito específica característica, o passo deslizante das bailarinas.

É dançada exclusivamente por mulheres, tradicionalmente com fatos longos para melhor manter a magia dos passos.

Deve o nome à árvore berioska, em português vidoeiro ou bétula, cuja beleza de porte e os movimentos suaves ao vento fazem lembrar a graciosidade e a beleza das bailarinas

 

 

Sobre o Grupo

Fundado em 1948 por Nadezhda Nadezhdina

Exige formação em bailado clássico, mas usa a essência das danças folclóricas

A maior parte dos bailarinos é captada do estúdio do Teatro Bolshoi, um dos mais prestigiados da Rússia e do Mundo

Desde a sua criação já fez várias digressões mundiais

Um crítico do Le Figaro escreveu "É melhor ver um espectáculo do Beriozka do que ler 200 livros sobre a Rússia"

 

Nos próximos tempos vou tentar partilhar porquê.

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 05:00

CR7 e Mayorga

por Sarin, em 12.10.18

Não queria comentar este caso... mas é realmente impossível.

Acho que muita gente nem conhece os factos, e nem os quer conhecer.

Defendem Ronaldo por ser craque, e defendem Ronaldo por ser português.

 

Bom, não seja por isso: a Maiorga também é portuguesa. Daqui do distrito, pertinho de Alcobaça...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

lançado às 18:48

Obrigada por estar aqui.


Pág. 1/4




logo.jpg





Localizar no burgo

  Pesquisar no Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Cave do Tombo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D